A memória não é o seu ponto forte? Aqui está um novo dispositivo para que não ande a perder coisas pelo caminho. A vantagem deste? É a quantidade de objetos que podemos associar a um custo mais acessível. Um bom argumento!

Definitivamente eu e a minha miserável memória não estamos sós neste mundo! A prova disso é a quantidade de produtos que vão sendo criados para que não esqueçamos nenhum dos nossos objetos – chaves, telemóveis, carteiras e muito mais – pelo caminho.

O GearEye foi idealizado por um fotógrafo que estava farto de perder lentes, cartões de memória e outros objetos ligados ao seu trabalho. Mas a sua utilização não se limita às câmaras, lentes e companhia e aplica-se às mais variadas situações. O projeto foi financiado em crowdfunding através da KickStarter, e alcançou quase 10 vezes mais do que o seu objetivo inicial!

Como funciona

O princípio do GearEye é ligeiramente distinto do dos localizadores Bluetooth. Consiste numa série de etiquetas, um pequeno dispositivo e uma aplicação para o smartphone. O dispositivo é um scanner de radiofrequência que deve ser posicionado junto da carteira, mochila ou onde quer que esteja aquilo que não queremos perder. As etiquetas são pequenos identificadores de radiofrequência e podem ser coladas facilmente em qualquer objeto, mesmo nos de menor dimensão. Não requerem bateria e têm uma vida útil de vários anos.

Na aplicação estão as referências dos produtos que receberam etiqueta. Ali, são organizados em listas temáticas. Podemos criar cerca de 10 listas, e cada lista pode reunir até 50 objetos. Na lista ‘saco do bebé’, por exemplo, podemos ter dois biberóns, a caixa da chucha, o trocador, a caixinha dos toalhetes, etc. Outra lista pode ser a ‘minha carteira’, com a caixa dos óculos escuros, a caixa dos óculos de ler, o porta-cartões, a carteira de dinheiro, o powerbank, a pequena necessaire, as chaves de casa, a chave do carro, por exemplo.

Onde está?

Antes de sairmos de onde estivermos, vamos à app e verificamos as indicações do scanner em relação a uma determinada lista, a ‘saco do bebé’, por exemplo. Ele pode referir que lá está tudo ou indicar que falta, por exemplo, o biberón 1. De seguida, clica-se em ‘localizar’ e a app indica onde este foi identificado pela última vez, ou usa-se o scanner para explorar uma zona onde podemos ter deixado o objeto.

É possível também procurar um objeto isoladamente, sem recorrer a qualquer lista. Não encontra o cartão de memória? Não sabe onde deixou as chaves? Com a ajuda do scanner pode começar a procurar.

 

Custos

Em substituição do scanner pode também ser utilizada uma capa especial para telemóvel, disponível para iPhone (6, 6s, 6 plus, 6s plus, 7 e 7 plus) e Samsung Galaxy (S6, S6 Edge, S7 e  S7 Edge).

O kit com um scanner ou uma capa e 40 etiquetas tem o custo aproximado de 131 euros. O equipamento encontra-se agora em fase de produção e estará pronto para distribuição em Julho deste ano.

GearEye, para ajudar a sua memória