Estive a procurar informação sobre mulheres a trabalhar na indústria de videojogos em Portugal e no mundo. E fui apanhada de surpresa por esta Barbie lançada recentemente pela Mattel, fabricante americana de brinquedos.

Esta é a Barbie Game Developer, ou seja uma criadora de videojogos. É uma edição da coleção Barbie Carreer e foi lançada há um par de meses nos Estados Unidos. Desta vez a marca foi cautelosa ao desenhar e, sobretudo, ao descrever e contextualizar a nova boneca. Isto porque, há alguns anos, num dos livros que também associa a Barbie a carreiras, pôs a sua famosa boneca como Engenheira de Computação mas a precisar da ajuda dos seus amigos homens para fazer parte do seu trabalho. Esta fragilidade, ou incompetência, se preferir, deu origem a uma grande polémica e a uma enxurrada de críticas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A Mattel aprendeu com os erros e, mais importante, não desistiu de pôr a Barbie numa carreira ainda vista como essencialmente masculina. E ainda bem! A Barbie Game Developer vem ajudar a romper com estereótipos e fá-lo, claro, com todos os acessórios que tem direito: traz um computador portátil no qual se pode ver no ecrã programas de jogos em desenvolvimento, headphones, um laptop, um tablet e óculos. E veste-se ao melhor estilo geek.

A boneca custa cerca de 11,50 euros e pode ser adquirida no site do fabricante.