O desafio era simples: com 7 aplicações no telemóvel, deveríamos seguir um guião, perder-nos por Lisboa e descobrir elementos e histórias desconhecidos. Uma competição entre bloggers que nos levou a perceber como o Google e as suas aplicações podem ser excelentes companhias não só para conhecer melhor Lisboa como para explorar qualquer outra cidade do mundo. Calce os ténis e venha comigo, agora.

Quem mandou construir o Convento do Carmo? O que havia no Rossio na época Medieval? De que animal é a pegada que podemos ver à frente da Casa dos Bicos? Antes do terramoto de 1755, o que havia onde hoje está o Largo Luís de Camões?*

Estas eram apenas algumas das perguntas que tínhamos de responder no desafio ‘Acha que Conhece Lisboa’, organizado pela Google. Mas não bastava agarrar no computador ou telemóvel e recorrer pura e simplesmente à ajuda do Google. Era preciso ir a cada um dos lugares e encontrar lá as respostas com a ajuda das aplicações e, claro, de todos os membros da equipa.

Lisboa com Google - Cautela

A Equipa
No Largo da Misericórdia

Comigo estava uma leitora e amiga de longa data, Cristina Belo, que substituiu a vencedora do passatempo, impedida na última hora de participar nesta aventura devido a um imprevisto. E, como éramos muitos bloggers, para não serem demasiadas equipas a competir, a organização optou por juntar duplas formando equipas de 4 pessoas. A fazer parceria com o High-Tech Girl calhou nada mais, nada menos do que Diana Chaves e uma leitora do seu blog, Alexandra Filipa. E aproveito aqui para tirar o meu chapéu à atriz: ela correu, subiu, desceu, deu entrevista, cumprimentou fãs, puxou pela equipa e participou de cada etapa com um empenho invejável e sempre com um sorriso.

Em cerca de duas horas (ou menos) percorremos as ruas de Lisboa, a explorar zonas como Alfama, Chiado, Rossio, Praça do Comércio, Campo das Cebolas, entre outros pontos do centro histórico. Nunca corri tanto!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Nos telemóveis trazíamos as nossas ferramentas. Eram estas as aplicações:

 – Google Maps – Quem nunca a usou? Situa-nos no espaço, mostra onde estamos e para onde queremos ir. E dá instruções de como chegar, seja a pé, de carro ou a usar transportes. Android e iOS

Google App – O motor de busca propriamente dito. Dispensa apresentações, pois já faz parte da vida da grande maioria de nós.

 – Google Translate – Uma aplicação interessante, que permite não só traduzir palavras, expressões e textos que escrevemos como traduz voz, permitindo fazer uma espécie de conversa com uma pessoa que fale outra língua. Podemos também focar um texto com a câmara e esperar que a app traduza. Android e iOS

 – Google Photos – Muito mais do que uma aplicação para armazenamento de fotos e vídeos. Ela cria animações, monta vídeos com seleções de fotos, edita vídeos e muito mais, tudo por conta própria! É claro que podemos fazer tudo isso manualmente, se quisermos. Mas se não tivermos jeitinho para isso, é só deixar por conta da app. Android e iOS

 – Cardboard app – Aplicação para operar o Google Cardboard. Muito divertido! O Google Cardboard é um óculos de Realidade Virtual em cartão com preços a começar nos 13 euros. Android e iOS

 – Cardboard Camera – Permite que sejamos nós a criar fotos e vídeos em 3D, com som local ou editado. Android e iOS

 – Rewind Cities – Utiliza Realidade Aumentada para mostrar como certos pontos da cidade e monumentos eram no passado. Muito interessante. Já tinha escrito sobre esta app aqui. Android e iOS

No fim algumas coisas ficaram muito claras. Lisboa é linda e especial, mas ser turista na Cidade das Sete Colina é uma atividade exigente, com tantas subidas e descidas, e muito para visitar. Divertimo-nos imenso e aprendemos muito. Não vencemos a competição, mas conquistámos um honroso 3º lugar. Melhor do que isso, ficou a vontade de continuar a explorar a cidade (desta vez com calma) e viajar mais, dentro e fora de Portugal. Com Google, claro.

Para ver mais fotos do evento, procure #lisboacomgoogle

*Quer as respostas às perguntas? Agarre no telemóvel, carregue as aplicações, desafie uma boa companhia e vá à procura das respostas pelos próprios pés. Divirta-se!