Há cada vez mais wearables no mercado. E para escolher o mais adequado para si convém saber exatamente o que pretende de um equipamento destes. E se saúde e fitness é o que procura, não deve perder este artigo. Estive a experimentar o VivoWatch, da Asus. Veja o que achei.

AS PRIMEIRAS IMPRESSÕES

Cada vez que abro a caixa de um novo equipamento a ser experimentado é como se voltasse à infância. O entusiasmo, a curiosidade e a vontade de descobrir tudo o que é capaz de fazer são os mesmos que sentia quando abria um novo brinquedo. Foi com este estado de espírito que, numa espécie de férias na praia (bloggers tiram férias?!), abri a caixinha branca e cúbica que trazia este wearable da Asus. Por uns dias caminhei e pedalei mais do que esperava e não custou tanto assim. Mas voltemos à abertura da caixa…

Por um momento, estranhei o ecrã (touch) monocromático. Depois percebi que era nítido e de fácil leitura, mesmo em dias de muito sol. O Gorilla Glass 3 dá-lhe uma aparência sólida e um toque agradável. Achei graça ao seu formato quadrado e gostei da pulseira. Apesar de ser de plástico, tinha uma textura que lhe dava uma certa elegância e acredito que pode ficar bem mesmo fora do contexto desportivo. Na sua embalagem, o Asus VivoWatch trazia ainda uma pequena base de carregamento, pequena e simples, e um fio USB.asus vivowatch 1PREPARAR PARA COMEÇAR

Com a bateria preparada e a app HiVivo no smartphone, achei que estava pronta para explorar as potencialidades do relógio. Mas precisei de alguma paciência, pois era necessário fazer algumas atualizações antes de estabelecer a ligação com o meu smartphone e o configurar. Foi mais complicado e menos intuitivo do que o habitual. Não consegui fazê-lo diretamente no relógio. E já estava a desanimar, a ponto de desistir, quando descobri a solução com a ajuda do Google.

Fui aconselhada a fazer as atualizações através do computador. Com o cabo USB, liguei o VivoWatch ao meu laptop e pronto. Finalmente consegui atualizar o firmware do equipamento e estabelecer a ligação com o meu smartphone, configurar a app com os meus dados e dar início à sua utilização.

Ficam aqui duas lições. A primeira: com o Google conseguimos resolver uma boa parte dos problemas que temos com equipamentos. A segunda: não desistir, pois podemos ter boas surpresas. E foi o que aconteceu. Esta atualização permitiu que o VivoWatch, para além de vibrar quando o telemóvel recebe chamadas (como já era previsto), passasse também a notificar e mostrar as mensagens recebidas (por Whatsapp, SMSs, etc), funcionalidade que não estava contemplada inicialmente no equipamento.

 

EM USO

A utilização do VivoWatch é intuitiva. Como o seu principal foco é a atividade física (e a saúde), sabe tirar um excelente partido disso, tornando-se um verdadeiro companheiro de treinos. Quando fazia as minhas caminhadas a beira-mar ou pedalava ao fim do dia (não, não sou uma corredora, muito menos uma desportista altamente especializada), o relógio participava ativamente. Bastava carregar no seu único botão no início do treino e ele começava a sua monitorização ativa. Graças ao seu sensor cardíaco ótico (com tecnologia ASUS VivoPulse) situado na parte de traz do relógio, a pulsação é medida constantemente, o que permite um treino mais eficaz. No ecrã, um LED indicador informa quando se está a efetuar exercícios aeróbicos (luz verde), anaeróbicos (luz amarela) ou quando se está em sobrecarga (luz vermelha).

Este wearable possui um sensor UV, que indica quando a intensidade dos raios solares é prejudicial. E é resistente à água, podendo ser utilizado a uma profundidade de até 1 metro durante 30 minutos. A bateria, por sua vez, tem uma autonomia de aproximadamente 10 dias, mas quando há demasiadas mensagens para ler  ou uso é intensivo esta autonomia pode ser ligeiramente menor.

asus vivowatch 2

A monitorização cardíaca pode ser feita durante vários períodos ao longo do dia e da noite, e pode ser acompanhada à distância através da aplicação para dispositivos móveis associada ao equipamento ou no computador. Isto significa que esta pode ser uma boa alternativa para acompanhar familiares com problemas cardíacos.

O VivoWatch também monitoriza o sono. E fá-lo de forma automática, ou seja, não é preciso pô-lo em modo monitor de sono. Com base nos dados recolhidos durante o dia e a noite, a aplicação classifica o estilo de vida do seu utilizador, atribuindo um índice de felicidade. Os dados recolhidos ficam registados no histórico da app e permitem acompanhar a evolução dos treinos e do quadro geral do utilizador. Estes dados, no entanto não podem ser partilhados com outras aplicações (de monitorização ou não) ou com redes sociais.

 

PARA ENCERRAR

O VivoWatch está algures entre um smartwatch e um monitor de atividade. Não utiliza o Android Wear (sistema operativo para smartwatches e wearables) mas possui mais funcionalidades do que alguns monitores médios. É um relógio interessante para quem pratica desporto de forma regular mas não altamente especializada, sendo uma excelente companhia de treino. Pode também ser um apoio para aqueles que por questões de saúde necessitem monitorização cardíaca. O seu preço recomendado é de 159 euros.