Ler a mente e usar o cérebro diretamente para realizar todo o tipo de tarefas parecem ideias de filmes de ficção científica. Já foram. Mas agora são uma realidade e podem abrir as portas para um mundo novo, permitindo as mais variadas interações entre a mente humana e os computadores.

A empresa de neuro-engenharia Emotiv deu um passo importante neste sentido. Acaba de fazer chegar ao mercado a preços acessíveis sistemas que permitem ler as ondas cerebrais e utilizá-las nas mais variadas aplicações e programas. São os dispositivos EPOC e EEG. A sua aplicação vai desde os jogos de vídeo à televisão interativa, dos comandos mãos-livres a um leque variadíssimo de interações do dia-a-dia.EPOC e EEG são equipamentos da Emotiv que lêem as ondas do cérebro

Com estes dispositivos é possível usar a mente para gerar cores, música e arte ou dar comandos à distância, o que pode ser muito interessante para qualquer um de nós, mas pode vir a ser crucial para aqueles que têm limitações físicas. Ainda há muito por desenvolver mas já foram dados os primeiros passos no sentido de desenvolver sistemas para a condução de carros, para a movimentação de cadeiras de roda, para a utilização de teclados e mesmo para criar arte (veja o vídeo que se segue), apenas através da mente.

Trazer a mente e as emoções para o universo dos jogos parece fantástico mas merece atenção na forma como isto pode vir a ser explorados. O mesmo acontece a nível do consumo. Estes equipamentos permitem aos investigadores de marketing e publicidade saberem em tempo real e de forma profunda a reação das pessoas em relação a determinados produtos.

Mesmo requerendo alguma precaução em determinadas áreas, não restam dúvidas de que os sistemas da Emotiv representam um marco na relação entre nós e os computadores. E a sua meta de democratizar a investigação a nível do cérebro, permitindo o acesso a sistemas de alta resolução a preços acessíveis e incentivar a inovação neste campo é mais do que positiva.